❤ Um Blog para quem curte a maternidade com afeto. ❤

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Gravidez não é doença! O discurso da incompreensão...





Tá bom, gravidez não é doença, certo... Mas traz indisposição, dores e desconforto para maioria das gestantes.

Não é por isso mesmo que elas tem preferencia nas filas e cadeiras exclusivas nos ônibus?

Eu também já pensei assim em uma situação: "Gravidez não é doença e ela inda está esperando sentada". E a gestante solicitando uma brevidade no atendimento. I AM sorry! Eu não penso mais assim... Assumo e me desculpo por ter pensado assim algum dia...

Certa vez, ouvi este mesmo discurso vindo de outra pessoa. Na época, eu já tinha filho e tentei explicar que gravidez não é doença, mas que, pode sim, deixar a mulher debilitada. A pessoa reclamava que a diarista grávida estava faltando muito, por estar enjoada, e exclamou o jargão: " Gravidez não é doença!"

Durante a gestação, ganhei um livro: "Parabéns! Você está grávida!" ( Sim, este é o nome do livro.)

Li atentamente, todinho, até o final e explanei: Poxa, gravidez não é doença, maaaaas...

Eu lia um pedacinho do livro a cada dia, no ônibus, na ida ao trabalho e, confesso, fiquei assustada, (talvez, pelo meu estado hormonal alterado, chorei ao ler muita coisa deste livro) e vou citar aqui diversos sintomas de incômodos pelos quais as gestantes podem passar:

1-Alterações físicas, aumento de peso;
2-Constipação intestinal;
3-Gases e flatulência;
4-Maior trabalho dos rins;
5-Azia e queimação;
6-Dores nas mamas;
7-Dores nas costas;
8-Hemorroidas;
9-Varizes;
10- Câimbras;
11-Inchaços.

Todos esses 11 ítens são abordados apenas
no capítulo 8 do livro, que explica que os sintomas são comuns, mas que nem toda mulher vai passar por eles.

Então, escolha apenas um dos 11 ítens e tente perceber como seria trabalhar, estudar, se exercitar, enfim...

Quando uma grávida estiver próxima, não custa muito oferecer um lugar para sentar ou adianta-la numa fila. (Isso já é um direito dela, mas, empatia é sempre bem vinda!)

IMPORTANTE! Não estou pregando aqui um discurso de "coitadismo", para ficarmos com pena das mulheres, tampouco, para inferiorizá-las. Meu desejo é o de que as pessoas reconheçam o conteúdo de seus discursos, muitas vezes cheio de rancor e maldade.

E se você ainda persiste em ficar exclamando por aí que "gravidez não é doença", apenas para se manter em sua zona de conforto, este texto foi feito para você! Vale a reflexão! Sempre podemos mudar nossas percepções e atitudes.

Ame e cuide de uma gravidíssima mais próxima!

Até mais!

(Mama)

Obs: A respeito do livro, foi escrito por um médico famoso da televisão ( Dr. José Bento), é um livro curto, simples de ler, mas não está na minha lista dos melhores, dos meus livros favoritos sobre gestação.






Um comentário:

Mamy Brasil disse...

ahhh concordo plenamente em minhas duas gravidez passei muitoooo mal até o 4º mês...e nos outros meses fiquei muitoooo preguiçosa, sem vontade nem de pensar. Hoje sou muito solicita com qq gravida pois sei que os desconfortos vão muito mais além do que o peso da barriga...

Postar um comentário

Quero saber de você, diga!